Mecânica Caseira

Passou-se mais de um ano desde que fiz o artigo acerca da primeira vez que fiz uma revisão mecânica à minha Africa Twin. Desde então tenho evoluído no campo da mecânica, ao ponto de frequentar um curso profissional de mecânica de motociclos. Se por esta altura sei que mecânico é algo que não quero ser de forma profissional, também sei que muita gente pode beneficiar de algumas dicas e conselhos para intervir de forma mais confiante na sua companheira de duas rodas, em casa. É isso que aqui deixo!

Mexer numa mota revelou-se muito mais fácil para mim, que não percebia nada de nada, do que eu pensei inicialmente. No entanto em mecânica é fácil desmotivar e bloquear num determinado processo para o qual não estávamos preparados, porque não pensámos num qualquer problema ou porque ignorámos um passo importante no processo em que estamos a intervir. Por isso, o primeiro conselho que dou é: em caso de dúvida ou insegurança, levar a mota ao mecânico.

O mecânico é um profissional com conhecimento e experiência prática em tudo o que é componente da moto, por isso ele é quem devemos consultar em caso de dúvida ou insegurança. Nenhum profissional trabalha de forma gratuita e por isso é normal que os mecânicos cobrem um valor apenas pelo diagnóstico. Também é de esperar que eles cobrem um valor pela mão de obra, portanto é aconselhável perguntar este valor antes de iniciar um serviço e, se este não nos parecer bem, procurar outros mecânicos. Qualidade paga-se, e esta é fácil de reconhecer.

Em segundo lugar, qualquer proprietário de moto que queira mexer na sua máquina em casa deve procurar o manual de serviço da moto. Os manuais de serviço são geralmente fornecidos pelas marcas às oficinas oficiais ou comprados particularmente a autores como a Haynes. É importante distinguir este manual do manual do proprietário, entregue juntamente com a moto nova ao seu proprietário. O manual de serviço tem toda a informação relativa à moto em questão, e permite saber por exemplo o que se deve fazer em cada revisão periódica ou, mais importante ainda, como fazer! Desde que se possuam as ferramentas adequadas.

Trabalhar em mecânica
“mecanicando”

Ferramentas:

Para intervir na moto são necessárias ferramentas e, tal como em relação a um par de ténis, por exemplo, devemos ter uma ferramenta tão boa quanto possamos comprar. Facilmente se dirá que uma chave de fendas é uma chave de fendas, independentemente da sua marca, e apesar de isso ser mais ou menos verdade no que toca a esta ferramenta específica, o mesmo não se poderá dizer por exemplo no que toca a uma chave de caixa ou a uma boca luneta. Posso dizer que a minha chave de caixa de 18” adquirida na loja chinesa não fez sequer um desaperto sem ficar moída. São portanto a qualidade do material juntamente com a reputação da marca quem determina a qualidade de uma ferramenta, aliando depois a outros factores específicos de cada ferramenta.

Existem ferramentas que são universais para a intervenção em qualquer moto, ou até para o uso em casa noutras aplicações, e existem ferramentas específicas de cada marca ou modelo que poderão ser úteis de possuir. A ferramenta específica para intervir numa moto é discriminada no manual de serviço.

Para intervir na moto em casa são necessárias algumas condições, bem como a aquisição de ferramentas. A quantidade e variedade de ferramentas que se possuem vão depender do quão à vontade se está para mexer na moto e, acima de tudo, quão complexas vão ser as intervenções a realizar na moto. Existe sempre o risco de adquirir ferramenta que raramente se vai usar, como também existe a possibilidade de esquecer uma qualquer ferramenta que vai ser fundamental na capacidade ou falta dela para terminar um serviço ou iniciá-lo.

ferramentas para trabalho mecânico
Encomenda de Ferramentas

Assim, em casa, para fazer uma intervenção básica como uma mudança de fluidos e filtros devemos ter pelo menos um jogo de chaves para aperto e desaperto de carenagens (Nota: as motos não têm todas o mesmo tipo de aperto nas carenagens, por isso poderemos considerar um conjunto completo com chaves de fendas, philips, allen e torx), um roquete com chaves de caixa de várias medidas para desapertos, um conjunto de chaves boca luneta e um martelo (ficariam surpreendidos com a quantidade de vezes que requerem o uso de um martelo. Um maço de plástico ou borracha podem ser alternativas).

Ainda no âmbito da mudança de fluidos e filtros, é necessária pelo menos uma ferramenta universal para remoção de filtros de óleo (ou a ferramenta específica daquele filtro se for justificável) e uma bandeja para onde se escorre o óleo usado. Atenção ao despejo de óleo usado: despejar óleo na sarjeta, na sanita ou simplesmente para o chão constitui Crime Ambiental e não deve ser feito, para preservar a qualidade de vida de todos nós. Existem empresas de recolha de óleos e resíduos que devem ser contactadas previamente para este efeito, e se o valor e logística associados a este processo forem demasiado inoportunos devemos delegar este serviço para o nosso mecânico de confiança.

Ferramenta Universal para Remoção de Filtros de Óleo

Outras ferramentas que um motociclista pode e deve ter em casa são: uma chave dinamométrica (até 200Nm deverá ser suficiente); chave de velas (poderá vir com o estojo de ferramentas original da moto); Alicates de aperto e corte; Um braço de força (às vezes as rodas são apertadas com demasiado torque nas casas de pneus ou mecânicos e é preciso fazer muita força para desapertar. Em alternativa existem as ferramentas pneumáticas); Um descravador de correntes; Se o à-vontade permitir, um extractor (para extrair rolamentos, por exemplo); uma gambiarra, ou uma boa lanterna.

Lubrificantes:

Para além da intervenção mecânica, outros são os procedimentos inerentes a uma boa manutenção caseira. No que toca a lubrificação, existem bastantes produtos disponíveis no mercado e é fácil para alguém menos sabido nestas questões de adquirir produto dispensável ou, tal como em relação às ferramentas, esquecer algum produto que é realmente fundamental.

Em casa deveremos ter um bom lubrificante de correntes, ou seja, um que adira bem à corrente e não salpique, para aplicar num intervalo de quilómetros entre 300 e 500. A aplicação de lubrificante de correntes dever-se-à fazer com a corrente limpa de gordura e com o lubrificante antigo removido, por isso uma escova de limpeza de correntes é também aconselhada.

É no campo da limpeza que existem variadíssimos produtos e, na minha opinião, apenas um deles é mais importante do que os outros todos: Brake Cleaner! O brake cleaner, apesar de se referir apenas a travões, é um potente desengordurante para componentes metálicos da moto que não deixa resíduo, daí ser aconselhado para os discos de travão. Este nunca falta lá em casa!

Brake Cleaner

Outro lubrificante sempre útil é o conhecido WD-40 multiusos. Este lubrificante não deve ser aplicado na corrente, mas sim em pequenos componentes metálicos de fricção como por exemplo o descanso lateral ou os poisa-pés. É um produto desengordurante e anti-corrosão, portanto até para limpar jantes pode servir, veja-se! Basta aplicar uma pequena porção num pano multi-fibras e esfregar na jante para vê-la recuperar o brilho de outrora!

Por último, outro lubrificante útil para ter em casa é uma massa consistente à prova de água. A massa aplica-se em variados componentes metálicos, em especial nos rolamentos, e o facto de ser à prova de água garante que zonas sensíveis como os rolamentos das rodas, por exemplo, resistem um pouco mais à corrosão criada pela condução em dias de chuva ou, para condutores como eu, pela passagem por todas as poças de água disponíveis.

Acessibilidade

O último capítulo deste artigo é também aquele que gera mais apuros a quem se aventura a mexer na sua moto em casa, porque há um aspecto que distingue uma oficina de uma garagem: o elevador!

mecânica pura
Scooter em intervenção em cima de um elevador

Para intervir numa moto com conforto devemos conseguir tê-la a uma altura suficiente para não ter que adoptar más posturas. Estas podem levar a dores persistentes, nomeadamente na zona lombar, que vão afectar não só a capacidade que temos para voltar a intervir na moto num curto espaço de tempo, mas também o nosso bem-estar geral na vida diária.

Não sendo possível ter um elevador, torna-se então imprescindível ter pelo menos um descanso central ou um cavalete para pousar a moto. Neste caso, mais do que o conforto, impera a segurança para ter a moto estável, sem risco de queda e por isso, minimizando o risco de acidente.

Em casa, aplicar cavalete frontal e traseiro não é excesso de zelo e a segurança melhora ainda mais se for possível aplicar cintas a um qualquer ponto de fixação.

Não menos importante, é necessário espaço para circular à volta da moto e ter liberdade de movimentos para qualquer intervenção. Se a intervenção implicar carregar peso, como um motor, por exemplo, garantir não só que existe espaço para transportar mas também para pousar em segurança e, claro, voltar a levantá-lo de lá!

Boas intervenções mecânicas!

Mecânica e ferramentas
Se for útil, dá um bigode à causa

One thought on “Mecânica Caseira”

  1. Normalmente intervenções mais simples sou eu que faço. Não tenho curso de mecânica mas tenho alguns conhecimentos uma vez que já trabalhei em mecânica automóvel 😉
    Já ando há que tempos para comprar uma dessas chaves dinamometrica 😁
    Um prazer ler, como habitualmente 😉

Deixa aqui o teu comentário